Evely Julia & seus poemas


Fabiano Lopes 2 (1) escolhida

Evely Julia:

13 anos, poeta homenageada na comemoração dos 30 anos do Psiu Poético

 

Evely Julia da Silva nasceu em Francisco Sá no dia 24 de janeiro de 2003, mora em Montes Claros e estuda na Escola Estadual Dilma Quadros. Filha de Cleunice da Silva e Jedson Gonçalves Lima.

 

Em 2013, a convite do Psiu Poético, participou do projeto apresentando poesias em sua escola e em seguida ajudou a construir o Despertar Poético, caminhando e declamando poesias pelas ruas de Montes Claros.

 

Participou também do Poesia Circular, que envolve atividades poéticas desenvolvidas dentro das escolas impulsionando a criação entre estudantes de diversas idades. Expôs seus trabalhos no painel permanente de poesia Juca Silva Neto na Biblioteca Pública Municipal Doutor Antonio Teixeira de Carvalho.

Texto pela homenageada.

Declamando sua poesia, Evely Julia será atração entre os homenageados no Psiu Poético 2016, quando se comemora 30 anos de poesia. Foto: Fabiano Lopes.

Declamando sua poesia, Evely Julia será atração entre os homenageados no Psiu Poético 2016, quando se comemora 30 anos de poesia. Foto: Fabiano Lopes.

 

Evely Julia compõe a lista dos 7 poetas homenageados este ano no Psiu Poético, ao lado de Adilson Cardoso, Cristiane Sobral, Cláudio Bento, Conceição Evaristo, Ronald Augusto & Waldemar Euzébio.

 

Destruição ambiental

Espero um dia respirar

Espero um dia ver mil pássaros voar

E árvores brotar

 

Espero que com esse deserto eu não me sinta sozinha

Os peixes estão a morrer

Essa culpa é minha

Assim nem eu mesma irei viver

 

Os animais em extinção

Assim o mundo passa mal

Eu na poluição

É a degradação ambiental

***

Ser mãe

 

Pronto! Nasci

Na barriga da mamãe vivi

Agora guardam segredo

Cada um com seu jeito

 

Mamãe agora não tem paz

Tranquilidade nunca mais

Agora conheço o mundo

E  meus pais juntos

 

Esse lugar é estranho

Deve ter sido um engano

Ah! Lembrei

Criança para sempre serei!

***

Arte de amar

 

Às vezes vem feliz

Às vezes escondido

Sempre pede bis

E assim você vai indo

 

Parece uma flor

A mais bela a se mostrar

Você artista deste amor

E parece que não quer parar

 

O amor é como uma aquarela

Tem de varias cores

Por si a mais bela

Bela de tantos amores

***

Coragem

Tem-se coragem

Tem confiança

Tem molecagem

Tem esperança

 

Enfrenta perigos

E também dor

Enfrenta abismos

Mas enfrenta com amor

 

Se é perigoso

É atencioso

Se é legal

Enfrenta bem normal

 

Preste atenção

Olhe a animação

Corajoso é quem

Mulher, homem, criança também

***

Escola

Alguns amam

Outros nem dão valor

No caminho andam

Para alguns é horror

 

Lá é um ambiente

Onde o trato é estudar

Todos são inteligentes

Por isso não devemos parar

 

 Passa o ano inteiro

No final a amolação

Nem adianta chorar no banheiro

Para quem não estuda é reprovação

 

Tudo bem uma conversa calma

Lá vem a professora

Aí minha alma

Tudo menos a diretora

***

Dengue

É o assunto mais falado

Nem tente esconder

Te deixa intrigado

 

Não precisa de óculos para ver

A dengue não se esquece mais

Temos que ter esperança

Temos uma chance, mas

Agora atinge a mais frágil criança

 

Meu Deus isso não vai parar

Já pegou até mania

Não a mais o que falar

Para terminar lá vem à microcefalia

 

 Isso é descuido da humanidade

Prevenção quase não se tem

Atingiu toda a cidade

Estado, país, mundo também

***