Tanussi Cardoso é homenageado no 31º Psiu Poético


Poeta Tanussi Cardoso

Poeta Tanussi Cardoso

Tanussi Cardoso é formado em Jornalismo e Direito. Poeta, crítico, contista e letrista de MPB.

Tem dezenas de prêmios, nacionais e internacionais.

Possui 9 livros de poesia editados. Tem poemas publicados na Argentina, Chile, Colômbia, Espanha, EUA, França, Itália, México, Portugal e Uruguai, e traduzidos para o francês, espanhol, italiano e russo. Em 2006, representou o Brasil no Segundo Festival Latino-americano de Poesia, na Cidade do México. Em 2009, participou do Festival Internacional de Poesia da Cidade de Bambamarca, Peru.

Entre suas obras, destacam-se “Beco com Saídas” (1991), “Viagem em Torno de” (2000), “Exercício do Olhar” (2006), “50 Poemas Escolhidos pelo Autor” (2010).

Em 2010, é convidado para o Festival Internacional de Poesia de La Serena, no Chile. Em 2010, apresenta o livro bilíngue, “Del Aprendizaje del Aire”, na Cidade do México, a convite da Coordenação Nacional de Literatura do Instituto Nacional de Bellas Artes.

Pertence ao PEN CLUBE do Brasil, à União Brasileira de Escritores (UBE/RJ), à Associação dos Poetas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro (APPERJ). É Vice-Presidente da Casa do Poeta Peruano, com sede no Brasil, e foi Presidente do Sindicato dos Escritores do Estado do Rio de Janeiro (SEERJ).

Tanussi é poeta homenageado no 31º Psiu Poético

Tanussi é poeta homenageado no 31º Psiu Poético

Possui o blog Tanussi Cardoso Poeta Etc que pode ser acessado pelo link: http://tanussicardosopoetaetc.blogspot.com.br/

Junto a Sandra Fonseca, Leo Gonçalves, Noélia Ribeiro, Alexandre Brito e Marlene Bandeira, Tanussi é poeta homenageado no 31º Salão Nacional de Poesia Psiu Poético, que acontecerá entre os dias 4 e 12 de outubro de 2017.

 

***

DO APRENDIZADO DO AR

imaginemos o ar solto na atmosfera

o ar inexistente à luz dos olhos

imaginemos o ar sem senti-lo

sem o sufocante cheiro de abelhas e zinabre

o ar sem cortes e fronteiras

o ar sem o céu

o ar de esquecimentos

imaginemos fotografá-lo

fantasma sem textura

moldura inerte

quadro de sugestões e aparências

imaginemos o ar

paisagem branca sem o poema

vácuo impregnado de Deus

o ar que só os cegos vêem

o ar silêncio de Bach

imaginemos o amor

assim como o ar

***

 

SUBSTANTIVOS

faca é faca

pão é pão

fome é fome

amor é amor

estranho desígnio das coisas

de serem exatamente elas

quando as olhamos sem paixão

***

 

TEIAS

Alimentar aranhas,

eis o meu ofício.

Deixá-las criar tentáculos.

Moscas mansas

apaixonadamente sangrar.

Cuidá-las para tecer

os pequenos vícios

do seu tear:

venenos sutis

tatos improváveis

-vivê-las.

Redescobrir as cores

as sedes e as sedas.

Entrelaçar as sendas

do meu destino nelas:

véus de astúcia

morte e viuvez.

Decifrar sua dança:

rede de valsas

fios de arame.

Aprender com elas

o ritmo do salto.

***

 

DA POESIA

o canto do pássaro

à procura do vento

não

a promessa de amor

nas faces da lua

não

o medo do mundo

em cima do muro

não

o malabarista

na corda-bamba

não

o olho do tigre

exato certeiro

preciso

o olho do tigre

sim

 ***

CONVITE

eles chegam

rios caminhos estradas

sóis luas cavalgadas

jornais diários

rezas velas fotos

cartas de amor

saudades

jardins repletos

primaveras

frutas cães geadas

eles chegam

meus mortos

nunca

se apartam

***

 

ÓVULO II

con cada poema

que se hace

se aleja a la muerte

hasta la mañana

de un nuevo

poema

***

# Equipe Psiu

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>